Monday, April 10, 2006

 

Sobre patentes em software

Excelente texto do Paul Graham sobre patentes em software. Eu acho que deve existir alguma forma de propriedade intelectual na área de software. Se o nome desta forma de proteção é patente ou não, não me importa.
Eu imagino um cara que trabalhe 10 anos em um determinado algoritmo e depois não possa usufruir do trabalho dele. Eu não acho isso justo. O problema de patente é que o governo deixa patentear um monte de besteira, eles não entendem deste negócio. O processo de registro de software no INPI, por exemplo, é hilário. O Paul Graham coloca da seguinte forma no texto dele:
We, as hackers, know the USPTO is letting people patent the knives and forks of our world. The problem is, the USPTO are not hackers. They're probably good at judging new inventions for casting steel or grinding lenses, but they don't understand software yet.

Eu não tenho idéia de como resolver este problema, mas eu acho que deve ser discutido. É interessante lembrar que o padrão IBM PC somente existe por uma falha dos advogados da IBM. Eles acreditaram que publicando o código fonte da BIOS estariam protegidos pela lei de copyright, sem contar a utilização de técnicas como clean room engineering.
Dá uma olhada no texto, é longo, mas é interessante.

http://www.paulgraham.com/softwarepatents.html

Comments:
Ainda não li o texto longo nem o clean room design.

Mas acho que existem duas coisas diferentes aí.

Tu tem razão quanto ao "Eu imagino um cara que trabalhe 10 anos em um determinado algoritmo e depois não possa usufruir do trabalho dele. Eu não acho isso justo."

Entretanto, isso é completamente diferente de patentes de software. Direito sobre um algoritmo é diferente do direito sobre um conceito.

Acho plenamente válido o programador usufruir do seu trabalho. No Brasil, isso é coberto pela lei de propriedade intelectual, o que é bom.

Patentes, entretanto, aplicam-se a conceitos. Existe o exemplo clássico de "usar o celular para fazer uma compra" (existem três patentes registradas sobre isso). Existe uma patente registrada sobre mostrar uma miniatura de um produto num site.

Isso não é apenas exagerado. É fatal.

A união européia rejeitou as patentes de software. O brasil também. De fato, os únicos lugares onde isso acontece atualmente são os estados unidos e o japão, se não me engano. Repare a migração dos empregos de desenvolvimento para a irlanda e para o terceiro mundo.

Você pode argumentar que é o preço do programador. É verdade. A hora de um programador indiano é ridícula, comparada à hora de um programador americano.

Mas existem problemas. Primeiro: contratar alguém lá da puta que pariu (a idéia da geografia irrelevante ainda é relativamente nova). Segundo: os encargos no terceiro mundo podem tornar o custo não tão atraente. Como, por exemplo, abrir uma entidade jurídica.

O grande motivo é a patente de software. Como disse Alan Cox ano passado, "we which are coding here in us, are not only more expensive - we are a legal threat"
 
Surak,

Leia o texto antes de de dar pitaco.

O seu caso do "celular para fazer uma compra" é trivial. Fica próximo do Amazon 1 Click.

E o direito pela lei da propriedade intelectual é fácil de dobrar via o clean room engineering.

A sua correlação com o custo de programador na Índia não é interessante. Eu não espero que um cara de bodyshop venha a desenvolver algo que seja protegido intelectualmente. E se for, será por quem desenvolveu o conceito, que não deve ser o programador indiano (posso estar sendo preconceituoso, estou falando de forma genérica, tem muito indiano melhor que nos dois juntos, vide qq programa de doutorado em universidade americana).

Leia os textos...
 
Eu li. E ainda sou contra as patentes de software. o conceito da amazon é um bom exemplo. Aquele site europeu que circulou um tempo atrás também.

Depois eu discuto melhor isso com você. Talvez eu seja mesmo contra patentes em geral,como o texto diz :-)
 
Veja o caso acima Surak, caso não existisse patente em software, como ficaria o caso do Ori?
 
eu vi o caso acima. é o caso onde o registro do software é válido. Ele não patenteou a idéia de busca na net, mas sim um algoritmo espefíco. Ele poderia usar o registro de software tanto quanto a microsoft faz com o office.
 
beleza,

então vc concorda.
 
Só pra refletir sobre patentes de software:

O que vc chama de "falha dos advogados da IBM" na realidade foi uma dádiva para o benefício de toda a sociedade. Imagino que se não tivesse ocorrido esta "falha", a disseminação dos computadores não teria sido a mesma e em países como o Brasil, acho q ainda estaríamos datilografando.

Patente de software é uma questão social. O Brasil é responsável por menos de 1% delas no mundo. Graças às patentes estamos próximos de testemunhar a nova "divisão do trabalho" mundial. É a previsão do holocausto para os países q estavam "em desenvolvimento". Ou se aceita calado ou se propõe uma mudança radical a esse rumo.

É mt simples falar em querer mudar o mundo, se não pensamos duas vezes quando isso diz respeito ao nosso próprio bolso.
 
Abelmon,

A penicilina também foi um erro, não estou falando do benefício que o erro da IBM gerou, estava comentando sobre como é cinza este território.

Outra coisa, se não fosse IBM o padrão a ser adotado, seria outro.

Se é para discutir sobre patentes, eu prefiro pensar como os Tigres Asiáticos que estabeleceram patentes como um fato da realidade e no lugar de reclamar do modelo, preferiu dar educação em massa para o povo e hoje está muito bem colocado em geração de propriedade intelectual. Nós deveríamos estar brigando por melhor qualidade de ensino fundamental e básico...

Leia o texto do Graham, veja um dos trechos finais dele:
"In the software business I know from experience whether patents encourage or discourage innovation, and the answer is the type that people who like to argue about public policy least like to hear: they don't affect innovation much, one way or the other. Most innovation in the software business happens in startups, and startups should simply ignore other companies' patents. At least, that's what we advise, and we bet money on that advice."
 
Post a Comment

Links to this post:

Create a Link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

O nome TellEsfera foi criado e gentilmente cedido por Laert do Animale Irracionale